Recent Posts

Após nacional, Ponor está mais próxima da vaga olímpica!

Catalina Ponor em 2015 ( foto: Federação Romena)
Terminou hoje de tarde a sexagésima nona edição do Campeonato Romeno de Ginástica de Artística, com as finais por aparelhos. As finais aconteciam simultaneamente, com revezamento das atletas - enquanto quatro competiam no salto (VT), outras quatro competiam nas barras assimétricas (UB); o mesmo aconteceu com trave (BB) e solo (FX). Catalina Ponor foi a grande vencedora do dia, conquistando dois ouros - trave e solo. Denisa Golgota conquistou o título no salto e Larisa Iordache nas barras assimétricas. 

Essa competição servia como mais uma fase no processo de escolha da atleta que representará o país nos Jogos Olímpicos em agosto. Larisa ou Catalina. Qual das duas está mais preparada para competir pela Romênia no Brasil e conseguir uma vaga, ou até a mesmo uma medalha, em uma das finais olímpicas? Após essa competição, a maioria dos fãs de ginástica chegou a conclusão de que Catalina está mais preparada, saudável, com mais dificuldade e melhor execução que Iordache. Larisa, infelizmente, ainda está com bastante problemas na sua execução e com as séries apresentadas nesse campeonato, com juízes internacionais, ela não conseguiria final em nenhum dos aparelhos. 

No primeiro aparelho em que competiu hoje, as barras assimétricas, apesar de ter conquistado o título, a série apresentada não está no nível (em "D" e/ou "E") da maioria das atletas que pleiteiam uma vaga na final do individual geral (AA) e/ou final por aparelho (EF). Além desse problema, ela visivelmente ainda não está bem de saúde: na saída do aparelho parece que machucou o pé e acabou não competindo na final do solo.


Catalina Ponor parece ter superado os problemas de saúde dos últimos dias e apresentou suas melhores séries do ano. Na trave, diferente de ontem, preferiu não arriscar o duplo giro, mas apresentou todas as dificuldades que havia mostrado ontem, apesar de ter perdido uma ligação hoje (salto cortada com meia volta + Kochetkova). Com essa série, Catalina obteve 15.166 e ficou com a medalha de ouro. Iordache ficou com a prata (14.433) e Andreea Ciurusniuc com 14.133 obteve o bronze.


No solo, sem a participação de Iordache, Catalina conquistou outro ouro. Com uma rotina muito limpa e com as mesmas dificuldades que vem apresentando nas últimas competições, ela recebeu 15 pontos cravados. Claro que essa série não está no nível de dificuldade das atletas que concorrerão a uma medalha nos Jogos Olímpicos (Biles e Raisman, por exemplo), mas está bem melhor do que qualquer outra romena - o que não é muita coisa, visto o nível do país.

Opinião

A maioria das pessoas que acompanha ginástica a bastante tempo, assim como eu, nunca imaginou ver a Romênia, um país que conquistou medalha por equipes em todos os Jogos Olímpicos desde 1976, numa situação dessa. Não conseguir a vaga olímpica no Campeonato Mundial, ir ao Evento Teste na tentativa de conquistar esse direito e mais uma vez falhar e ser obrigada a enviar uma única atleta para a competição seria impensável em 2004, quando a Seleção conquistou pela terceira vez o título de melhor seleção olímpica - além de 3/4 dos ouros por aparelhos. 

Antes de todos os problema com a Larisa, eu teria escolhido enviá-la, por uma questão de justiça e oportunidade, uma vez que ela ainda não tem nenhuma medalha olímpica individual. Catalina já tem 3; Porém, infelizmente, os problemas foram aparecendo: lesão, dores ns costas, nos pés e enquanto isso a Catalina só trabalhava mais e mais - até treinar barras assimétricas ela começou. No salto, recuperou, em pouco mais de 30 dias após o desastre no Evento Teste, a dupla pirueta (DTY) no salto. Na trave, a maioria das dificuldades também já estão ok; No solo, ela já divulgou em seu Instagram alguns vídeos fazendo o Tsukahara esticado, na tentativa de aumentar a dificuldade do solo (FX).

Diante desse cenário, eu escolheria Ponor para representar o país nas Olimpíadas. Ela tem reais chances de conquistar medalha na trave e classificar-se para a final do solo - uma medalha aqui é muito difícil se ela competir com essa série. Iordache poderia recuperar-se tranquilamente e continuar treinando para a próxima temporada. 

O anúncio oficial sai em duas semanas, após uma avaliação interna entre as duas. Antes disso, a Romênia compete em um meeting com a França no próxima dia nove de julho em Beaumont-en-Véron, França;
Após nacional, Ponor está mais próxima da vaga olímpica! Após nacional, Ponor está mais próxima da vaga olímpica! Reviewed by Gabriel Lima on 15:26 Rating: 5

Nenhum comentário:

Home Ads

Tecnologia do Blogger.