Recent Posts

#Rio2016: Brasil

Seleção Brasil durante o Evento Teste, em abril. (Foto: Ricardo Bufolin/CBG)
A Seleção Brasileira Feminina de Ginástica Artística para os Jogos Olímpicos foi definida mês passado e, sem nenhuma surpresa, terá Daniele Hypolito, Jade Barbosa, Lorrane dos Santos, Flavia Saraiva e Rebeca Andrade - Carolyne Pedro será a suplente. Essas seis meninas têm a [não tão difícil] missão de conquistar um ótimo resultado para o país na competição. Desde 2004, quando o Brasil conquistou pela primeira vez o direito de enviar uma equipe completa para as olimpíadas, o país chegou em apenas uma final por equipes, em Pequim (2008). Na ocasião, após sucessivos erros, o país foi o último colocado.

O oitavo lugar de 2008 foi o melhor resultado do país na história das Olimpíadas. No ciclo seguinte, o país atravessou sua pior fase desde 2004. A equipe conquistou a vaga olímpica aos 45 minutos do segundo tempo, no Evento Teste, em Londres, e nos Jogos Olímpicos fracassou em absolutamente tudo: terminaram em último lugar na fase classificatória e nenhuma ginasta foi para qualquer final.

Após esse fiasco, a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) anunciou uma série de medidas, com o objetivo de formar uma equipe forte para disputar os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro (contrataram técnicos estrangeiros, reformaram e inauguraram centros de treinamento). Mesmo não tendo conquistado nenhum título [ou medalha mundial] importante na categoria adulta e, com algumas perdas ao longo do processo (o técnico Oleg Ostapenko voltou para a Ucrânia; Julie Kim lesionou-se) o país conseguiu formar uma equipe bem preparada, seja psicológica ou tecnicamente, para disputar a competição em agosto.

Com a aproximação das Olimpíadas, alguns blogs internacionais, e até nacionais, começaram a fazer projeções sobre os resultados da competição. Por equipes, o Brasil, segundo publicação do blog norte-americano The Couch Gymnast, seria o quarto colocado, com EUA, China e GBR, respectivamente, em primeiro, segundo e terceiros lugares. O Gym Blog Brazil, mesmo não tendo palpitado quanto a colocação do país, acredita sim que as nossas meninas possam fazer uma ótima competição e superar o resultado obtido em 2008. 

O Brasil pode, com certeza, fazer uma excelente competição e conquistar uma posição ali entre as cinco primeiras colocadas. Com a Rússia enfrentando problemas, a disputa pelo último lugar no pódio será interessante: as seleções do Japão, Brasil e Grã-Bretanha farão tudo para conquistar essa inédita medalha para seus respectivos países. O que pode pesar nas brasileira é a torcida: se por um lado ela ajuda, ela pode atrapalhar. A pressão por um bom resultado e a tensão de competir em casa podem ser fatores fundamentais no desempenho delas. 

Particularmente, acredito que é possível um EXCELENTE resultado do Brasil como equipe. Porém, como disse, esperarei até o fim da competição de classificação no dia 7 para comemorar algo. Ano passado, no mundial, nossa seleção era tecnicamente superior à Holanda, mas com tantos erros acabamos perdendo a vaga olímpica por poucos décimos. 

Individualmente, o Brasil pode conseguir vagas em [quase] todas as finais: Individual Geral (AA), com Rebeca e/ou Flavia; Trave (BB) com Flavia; e Solo (FX) com Rebeca.

*Se ela conseguir colocar todas as dificuldades que têm treinado. 

É muito importante que essas meninas consigam competir da melhor maneira possível, pois todo o investimento feito no esporte nesses últimos anos será cobrado e, caso não haja resultados satisfatórios, muita coisa será perdida. 
#Rio2016: Brasil #Rio2016: Brasil Reviewed by Gabriel Lima on 13:46 Rating: 5

Nenhum comentário:

Home Ads

Tecnologia do Blogger.