Recent Posts

Após o Pan, o que podemos esperar do Brasil no Mundial?

Esta semana terminaram as competições da Ginástica nos Jogos Pan-Americanos de 2015, que estavam acontecendo em Toronto, Canadá. Infelizmente, o balanço geral não foi muito bom para as brasileiras, que conquistaram apenas duas medalha de bronze (equipes e individual geral), mas foi uma competição importante para elas. Na minha opinião, o destaque brasileiro na competição foi Daniele Hypolito, que apresentou séries consistentes [apesar da queda na final do solo], e com um grau de dificuldade compatível com a competição - mesmo não tendo medalhado individualmente. Dani disse que pretende colocar mais dificuldades em suas séries até o mundial e que "vem surpresas por aí".

Flavia Saraiva, nossa principal atleta na competição, na ausência de Rebeca Andrade, com reais chances de medalhas no individual geral, solo e trave, conquistou medalha apenas no AA. Na trave e solo falhou e terminou fora do pódio. Acredito que os técnicos deveriam rever alguns elementos na série dela, como o rondada + ME, que ela errou todos os dias no Pan. A competição serviu para Flavia mais como um teste para a grande competição de outubro em Glasgow, que serve de classificação para as equipes que pretendem disputar os Jogos Olímpicos no Brasil ano que vem.

Julie Kim, que inicialmente disputaria as barras assimétricas na competição acabou não competindo devido a um problema de saúde, competiu apenas na trave de equilíbrio. Classificada para a final, a atleta foi severamente "canetada": sua nota na final foi incompatível com sua apresentação (aliás, os árbitros dessa competição se envolveram em algumas polêmicas), o que fez com que ela terminasse em quarto lugar na final desse aparelho. Para o mundial, acredito que ela compita nas barras e retorne com as dificuldades que estava fazendo na trave.

Letícia Costa e Lorrane dos Santos erraram na qualificação, mas acredito que elas podem somar pontos para o Brasil na competição de outubro. Lorrane precisa fixar aquele whip + dtg + mortal, ou substituir o mortal por um stag.

Jade Fernandes Barbosa. A ginasta esteve entre as convocadas para Toronto, devido à lesão da Rebeca. Reserva da seleção, Jade atuou como conselheira das meninas. Para o Campeonato Mundial de Glasgow, acredito que ela seja uma das AAer do país - vimos um pouco do que ela tem até agora na trave e nas assimétricas no Sul-Americano.

Para o Brasil conquistar essa vaga para os Jogos Olímpicos, é necessário muito mais que expectativas, é preciso acertar e acredito que agora não seja o momento para acrobacias espetaculares, como a primeira passagem da Lorrane, se não há segurança e confiança. 
Após o Pan, o que podemos esperar do Brasil no Mundial? Após o Pan, o que podemos esperar do Brasil no Mundial? Reviewed by Gabriel Lima on 14:22 Rating: 5

Nenhum comentário:

Home Ads

Tecnologia do Blogger.